A Verdade sobre os Impactos da Liderança na Produtividade

Aumentar a produtividade é um dos grandes desafios de qualquer empresa, qualquer time e qualquer líder. Equipes e pessoas mais produtivas, no contexto empresarial, fazem o negócio render mais, aumentam as vendas e elevam o bem-estar geral da organização.

E para alcançar essa produtividade, é determinante uma liderança que tenha a clareza de que “fazer as coisas certas é mais importante do que  fazer certo as coisas”, como disse Peter Drucker, considerado o “pai” da administração. 

A posição de líder não deve ser ocupada de forma banal dentro de qualquer organização. Líderes devem ser uma  presença que desperte o melhor em suas equipes. O impacto disso na produtividade e nos resultados dos negócios é direto.

Por isso, vamos abordar o impacto real de uma forte liderança no âmbito da produtividade dentro do ambiente empresarial.

Liderança de verdade: como ela se manifesta

Liderar não significa apenas estar à frente de uma equipe. Liderança de verdade não se baseia apenas em posições de poder e em hierarquia – mas sim em confiança, integridade e integração. 

Resumindo, um bom líder não é apenas um bom profissional. Executar essa função com maestria não significa apenas cumprir bem suas tarefas no dia a dia, mas envolve também algumas diferenças comportamentais e de ação que os líderes têm além dos outros profissionais.

Usando a diferenciação de líderes e gerentes, do professor John Kotter da escola de negócios de Harvard, facilmente conseguimos explicar o que é a liderança de verdade. Enquanto os gerentes atuam com suas equipes em nível operacional e estratégico, os líderes vão além. 

Uma liderança real, que busca produtividade e inspira o time a chegar lá, também atua com planejamento e estratégia o tempo todo. Líderes cumprem suas tarefas em sintonia com seus colaboradores, mas também transitam entre a mais alta hierarquia e quaisquer áreas e posições de uma empresa.

A preocupação com a produtividade surge justamente daí, ao alinhar as expectativas do topo da empresa com a capacidade, a motivação e a satisfação dos liderados.

Basicamente, liderança é uma equação a ser resolvida: como guiar o time em busca de objetivos maiores, fazendo com que eles sempre produzam mais e melhor e se mantenham satisfeitos enquanto isso.

O líder deve ser entusiasmado e motivado, mas ao mesmo tempo pensar estrategicamente, saber ler o comportamento das pessoas e ser sempre orientado aos resultados.

Estilos de liderança e suas características

Por mais fácil que seja conceituar a liderança empresarial e as boas práticas que devem acompanhar o bom líder, há algumas diferenças que devem ser respeitadas. Líderes são pessoas e, naturalmente, pessoas têm estilos, personalidades e abordagens diferentes nas situações que enfrentam na vida.

Na liderança empresarial, os perfis de líderes mais facilmente observados são basicamente seis, segundo Daniel Goleman. Cada um deles combina características próprias, benefícios e  aspectos diferentes da inteligência e forma de agir.

Como pessoas complexas, os líderes naturalmente não  se encaixam em apenas um dos estilos. Podem combinar características de mais de um estilo. A propósito, os melhores líderes são os que se adaptam e conseguem combinar os benefícios de estilos diferentes.

Os seis estilos básicos de liderança propostos por Goleman são:

1.Líder direcionador

Este profissional cria metas e objetivos difíceis de serem alcançados, exigindo excelência e alta dedicação da equipe. É a liderança que funciona bem em equipes motivadas e de alta performance, mas coloca em risco a motivação e a satisfação pessoal do time. Quando dá certo, porém, os resultados são uma performance altíssima e funcionários orgulhosos do próprio trabalho.

2. Líder coercitivo

É um perfil mais nocivo de liderança, que só deve ser aplicado em pequenas doses, pois se baseia em ordens diretas. Coerção e produtividade podem ser inimigas, uma vez que para produzir mais é preciso motivação, que nunca vem de autoritarismo e pressão. Entretanto, em tempos de crise, as decisões rápidas, podem ser a única solução.

3. Líder autoritário

Diferentemente do que o nome indica, o autoritarismo aqui funciona mais como “venha comigo”. Esse tipo de líder aponta um caminho baseado na visão que deve ser comum à equipe. É uma liderança positiva e eficaz, desde que estimule bem a equipe.

4. Líder maternal 

Cria laços com as pessoas e as motiva de forma mais humanizada. Assim, acredita em liberdade e confiança na equipe, o que cria um ambiente onde a produtividade pode ser mais facilmente estimulada. Porém, fica o alerta para não passar uma imagem de fraqueza quando utilizado em excesso.

5. Líder instrutor

Este parece com o  líder coachSua abordagem visa instruir e ajudar o time a crescer com o próprio aprendizado. Esse formato de liderança deve aprender a lidar com falhas de aprendizado, mas, a longo prazo, oferece vantagens de crescimento impressionantes.

6. Líder democrático

É o líder que ouve e busca consenso entre todo o time. Ele tenta criar sempre um ambiente de confiança em que todos podem ser ouvidos. Também sofre com o fantasma da falta de firmeza, mas visa produzir melhor através da harmonia entre os membros do time.

Ao balancear bem as qualidades de cada estilo, o bom líder  encontrará o caminho para estimular corretamente a produtividade no ambiente empresarial.

E afinal, o que é produtividade?

Produtividade é, em teoria, a razão entre o trabalho,  o tempo gasto e os resultados alcançados. Mesmo que seja um conceito simples, não é tão fácil ser produtivo na prática.

Uma pesquisa desenvolvida recentemente pela Workfront, empresa de softwares dos EUA, apontou que apenas 39% do tempo dos funcionários da própria empresa é gasto com trabalho efetivamente. O restante do tempo é gasto com tarefas triviais, que podem ou não estar ligadas à procrastinação.

Muitas vezes, as distrações que comprometem a produtividade estão na falta de motivação, falta de integração com o trabalho e insatisfação com condições empresariais internas. E quando essas são as causas, uma boa liderança entra em cena como a melhor – ou a única – solução. 

Produtividade, portanto, envolve fatores humanos e condições que podem estar nas mãos dos líderes e sob seu controle. Resta, então, a quem comanda equipes, saber analisar bem esses cenários e trabalhá-los para buscar um crescimento da produtividade. Para servir de motivação, podemos adiantar que o impacto é sentido em todas as áreas da empresa, inclusive mesmo no aumento das vendas.

O papel do líder na produtividade do time

Os comportamentos dos líderes impactam fortemente na produtividade dos liderados. Imagine um cenário onde o  líder  destrata seus liderados, na maioria das vezes, essas pessoas sentirão emoções negativas, como: raiva, desalento, tristeza ou ódio e todo o  corpo será inundado por hormônios do estresse. Nessa condição, é impossível continuar trabalhando de forma produtiva. 

Na realidade, a maioria não conseguirá fazer mais nada, além de tentar  recuperar a auto-estima  de alguma forma. E o caminho mais fácil será tratar mal colegas de trabalho e até mesmo clientes externos e fornecedores. Isso cria um efeito dominó de baixa produtividade em outros membros da equipe, afetando o bem-estar, as relações interpessoais e o resultado da área e da empresa.

Como disse Drucker:

“Para que possam sobreviver, os líderes devem deixar de ser os condutores autoritários do passado e converter-se em integrantes das equipes do futuro.”

E a relação com a produtividade começa aqui.

Primeiro, para alcançar o máximo potencial de alguém em uma equipe, é preciso conhecer esse indivíduo. O líder deve conhecer as suas forças e fraquezas, bem como quaisquer pontos de melhoria e potencialidades no trabalho. Como o liderado pode render mais? O que faz com que esse profissional busque seus objetivos com mais afinco? Como motivá-lo a descobrir e agir a fim de alcançar tudo o que ele pode e o que a empresa espera dele?

Novamente, aqui é hora de alinhar o que o líder conhece do colaborador e o que precisa exigir dele e o que este liderado deseja para si. Para isso, ele deve estimular alguns aspectos no cotidiano.

Para aumentar a produtividade, o papel do líder é oferecer segurança e ouvir a voz do colaborador. Além disso, ele precisa deixar claro que entende limitações e respeitar, sempre, o espaço de aprendizado de cada um. Mais que isso, o bom líder sabe a hora certa de cobrar resultados, de enfatizar forças, neutralizar fraquezas e de recompensar sucessos. Na prática, isso acontece ao longo do tempo e com muito esforço por parte da liderança. Mas novamente, o bom líder deve estar naturalmente preparado para o desafio.

Os resultados de todas essas ações na produtividade e, consequentemente, na empresa como um todo, são diversos. Mais produtividade pode significar economia de recursos; otimização de processos; aumento nas vendas; uma melhora significativa na qualidade do ambiente de trabalho; e muito mais! Basta canalizar os esforços onde a empresa mais precisa de melhorias naquele momento. Novamente, cabe ao líder encontrar essas oportunidades e saber utilizá-las bem.

Aprenda a melhorar a produtividade na prática

Quer saber como potencializar sua própria produtividade e passar a ideia adiante? Confira nosso artigo sobre como a neurociência pode ajudar. Com dicas práticas e facilmente aplicáveis no dia a dia do trabalho, você também pode aprender a render mais e inspirar outras pessoas a  fazer o mesmo. 

E para não interromper o fluxo de produtividade, não deixe de conferir também nosso conteúdo sobre como aumentar seu foco e seu desempenho. Boa leitura e bom trabalho!

Lília Barbosa & Creoncedes Sampaio

[email protected]/[email protected]

 
Referências:
https://hbr.org/2017/10/a-survey-of-how-1000-ceos-spend-their-day-reveals-what-makes-leaders-successful
https://www.executivedevelopment.com/the-impact-of-leadership-culture-on-productivity/
http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/bitstream/handle/10438/4113/000317929.pdf
Compartilhe essa postagem:
Comentários

Deixe seu comentário

Quer saber mais sobre a Cozex? assine nossa newsletter!