Produtividade: O que você pode aprender com a neurociência

Você está se esforçando muito para terminar suas tarefas? Costumava ler romances longos e agora acha difícil conseguir terminar um breve artigo de jornal?

Bem, seu cérebro não é exceção. A maioria das pessoas adultas enfrenta problemas reais com procrastinação e falta de foco. Por mais misterioso e maravilhoso que o cérebro seja, existem algumas regras que você precisa para conhecer para garantir sua produtividade.

Além disso, no mundo digital, vivemos distrações que nos cercam 24 horas: as notificações na tela do celular e os emails que chegam a cada segundo. E se não houver nada na TV, você pode ligar o Netflix ou então se perder nos seus canais e vídeos preferidos no YouTube. Chega a parecer impossível se concentrar em uma única atividade, não é mesmo? Diante disso, como é possível garantir a produtividade?

Bem, antes de mais nada, é preciso entender que seu cérebro deve estar treinado para ser produtivo e se livrar das distrações traiçoeiras. A boa notícia é que a neurociência tem muitas descobertas e conselhos sobre o assunto.

Os que mostraremos a seguir são baseados em teorias de Stephen M. Kosslyn, do departamento de psicologia da Universidade de Harvard, e  Gabija Toleikyte, neurocientista e coach de produtividade. Confira!

1. Descanse regularmente

Como qualquer máquina, o cérebro precisa de um tempo de descanso para cada período ativo. Durante a fase ativa, os neurônios usam nutrientes, levados pelo sangue ao seu cérebro, para funcionar bem. Mas quando estamos cansados ​​ou estressados, esses nutrientes são transferidos para outros órgãos vitais. Isso deixa nossas redes de neurônios mais sofisticadas; como as envolvidas em ideias criativas, na tomada de decisões ou na aprendizagem de novas informações; desabastecidas. O que significa que o desempenho cognitivo diminui.

Os neurônios também usam substâncias químicas chamadas de neurotransmissores para se comunicarem entre si. Para isso, eles precisam ser reabastecidos. Ou seja, se você quiser manter uma alto desempenho ao longo do dia, durma bem e quando estiver cansado faça intervalos. Cerca de 10 minutinhos a cada hora podem fazer uma grande diferença.

Além disso, saiba que seu cérebro está em seu estado mais produtivo depois de um longo período de descanso. Geralmente isso ocorre quando você acorda. Então, deixe as atividades mais desafiadoras para  as manhãs ou logo após uma pausa.

2. Reduza seu estresse

Durante períodos de estresse, a bioquímica do corpo, comandada pelo cérebro, produz uma reação fisiológica conhecida como estado de “luta ou fuga”, que prepara o corpo para escapar de um perigo real (ou imaginário). Quando esse modo é acionado, seu coração começa a bater rapidamente, sua digestão e sistema imunológico são paralisados e o fornecimento de energia para o seu cérebro é reduzido. Esse quadro afeta particularmente o córtex pré-frontal, que é responsável pelo pensamento racional, pela tomada de decisões importantes e pela resolução de problemas.

Ou seja, durante o estado de “luta ou fuga”, você é pouco produtivo. Além de tudo isso, situações de estresse também prejudicam nossa capacidade crítica. Então, muitas vezes não percebemos o que estamos fazendo de errado. A solução? Bem, exercícios de respiração e meditação diária podem ajudar, assim como dormir o suficiente. Reduzir a ingestão de cafeína e fazer exercícios físicos diariamente também são atitudes altamente recomendados pelos neurocientistas.

3. Mais produtividade e menos multitarefa

Do ponto de vista do cérebro, não existe multitarefa. O cérebro só pode se concentrar completamente em uma única coisa por vez. O que realmente está acontecendo durante sua performance multitarefa, segundo a neurociência, é a fragmentação de sua atenção, em que seu cérebro está passando de uma tarefa para outra muito rapidamente.

Isso tem três consequências (e nenhuma delas é positiva!):

  • Você desperdiça muito mais tempo para executar as tarefas;
  • Você fica mais propenso a cometer erros;
  • Sua carga de estresse aumenta ​​com mais facilidade.

Então, se você está fazendo malabarismos com várias tarefas, escrevendo e-mails, twittando, revisando relatórios, atualizando o Facebook e respondendo ao Whatsapp ao mesmo tempo, não se surpreenda se seu nível de produtividade cair drasticamente. Faça uma coisa de cada vez. Seu cérebro agradece.

 

4. Quebre tarefas longas em pequenos blocos

Divida tarefas longas em blocos curtos que possam ser executados em uma sessão de trabalho ininterrupta. Se um projeto parece muito grande, ele ativa os centros de dor do nosso cérebro e nos torna mais propensos a procrastinar.

Tarefas divididas em pequenos blocos também ajudam os centros de execução do cérebro, que precisam de comandos específicos para completar uma tarefa. Se estes não estão no seu devido lugar, desperdiçam energia preciosa analisando o trabalho como um todo.

Para evitar isso, comece a treinar seu cérebro para se concentrar na execução de uma única tarefa por um determinado período de tempo. Um método conhecido para incrementar a produtividade é a Técnica Pomodoro. Não faça nada além da tarefa escolhida por 15, 20 ou 30 minutos, seguidos de uma pausa de 5, 10 ou 15 minutos, onde você pode fazer o que quiser (relaxar, tomar café, conversar com um colega).

Comece tentando executar cinco minutos de trabalho ininterruptos, seguidos de uma pausa de cinco minutos, três vezes durante o dia. Em seguida, aumente os intervalos para 10 minutos, 15 minutos e assim por diante.

5. Reserve tempo para construir seu fluxo de atenção

Na ciência existem contrapontos. Outra perspectiva à divisão de tarefas e métodos como o Pomodoro é defendida por alguns especialistas. Você provavelmente está familiarizado com a seguinte situação: Você se concentra tanto em uma tarefa particular que nada ou ninguém consegue distraí-lo (esse estado também é conhecido como “o fluxo”), um conceito introduzido por Mikhali Csikszentmihalyi, psicólogo húngaro, conhecido mundialmente por ter descoberto o “fluxo” e pelos estudos sobre felicidade e criatividade. 

Esse estado de concentração plena é considerado um ingrediente-chave da felicidade. Mas, entrar no “fluxo” leva tempo, e é por isso que reservar intervalos pode não ser eficiente para completar uma tarefa. “Se eu tiver uma hora para trabalhar em algo, sou produtivo apenas na metade desse tempo, porque levo mais meia hora para entrar no fluxo”, diz Kanai.

Então, se você quer ser produtivo em uma tarefa particularmente importante e desafiadora, certifique-se de desconectar de todas as distrações e reservar mais tempo para completar essa tarefa específica, sem lançar mão de muitas pausas.  

6. Crie o hábito de fazer listas

Criar listas traz benefícios incríveis para a produtividade, de acordo com os neurocientistas. Especialmente quando você as coloca em lugares nos quais realmente irá ver. Isso porque o cérebro faz um grande esforço para armazenar muita informação de uma única vez. Então, se você estiver tentando se concentrar na tarefa em mãos, enquanto também tem um milhão de coisas que deve se lembrar de fazer, você não conseguirá ser produtivo.

Escreva tudo o que precisa fazer durante o dia – sejam tarefas grandes ou pequenas – em uma lista em ordem de prioridade. Uma vez que seu cérebro sabe que tem tudo isso salvo e devidamente explicado em outros lugares (que não em sua cabeça), você ficará mais relaxado e menos distraído, dando-lhe, assim, resultando em melhor desempenho cognitivo e aumento da produtividade. 

7. Seja seletivo sobre o que lê ou assiste on line 

Kanai fez um experimento com pessoas na Índia que nunca usaram internet antes e estudando como seu cérebro muda após um mês de uso, descobriu mudanças no hipocampo – uma área cerebral onde armazenamos informações e conhecimento. Depois que as pessoas começaram a usar a internet, essa área de seu cérebro aumentou substancialmente. “Nós realmente não sabemos que tipo de informação eles estão coletando e armazenando lá”, diz Kanai, neurocientista da Universidade de Sussex, que estuda como a internet e as mídias sociais afetam nosso cérebro. Segundo ele, as informações armazenadas,  “Pode ser lixo ou algo útil – o cérebro armazena tudo”. Se usar a internet muda o nosso cérebro, mesmo em um mês, certifique-se de que a informação que ocupa espaço no seu cérebro é útil.

8. Saiba que produtividade traz felicidade!

Quem é mais produtivo, também é mais feliz. Isso porque a conclusão de tarefas ativa os centros de recompensa do cérebro. Mesmo aquelas atividades que você normalmente julga como chatas, quando finalizadas, liberam um toque de dopamina (substância relacionada à sensação de bem-estar) pelo seu corpo, produzindo um sentimento de realização, prazer e motivação. É tão bom ser produtivo, não é mesmo? O que você está esperando para assumir o controle da sua produtividade?

Mantenha a força de vontade

Embora os meios para alcançar a produtividade máxima possam parecer misteriosos, a neurociência mostrou que não é tão difícil de conseguir quanto imaginamos. Então, não perca mais nenhum minuto de seu tempo produtivo. Esteja consciente do seu tempo, separando os momentos para produzir e outros momentos para descontrair. Use a sua força de vontade para assumir o comando do seu foco e aumentar sua produtividade.  Comece agora mesmo a praticar essas dicas no seu dia a dia. 

E se você gostou deste artigo, vai gostar também de saber como aumentar seu foco e seu desempenho. Boa leitura!

Lília Barbosa & Creoncedes Sampaio

[email protected]/[email protected]

 

Compartilhe essa postagem:
Comentários

Deixe seu comentário

Quer saber mais sobre a Cozex? assine nossa newsletter!