O poder invisível da inércia e como livrar-se dela

A inércia pode ter um poder invisível em sua vida. Isso acontece porque no contexto de hiperconectividade, da informação sem limites e das mudanças constantes, o que pouco se discute no mundo dos negócios é um problema que parece o oposto do cenário do excesso de atividades: inércia

Mesmo com muitas possibilidades de negócios, interações e muito movimento,  a inércia ocupa mais espaço em nossas vidas do que imaginamos. Na vida pessoal ou profissional, tendemos a manter o que sempre fizemos, seja permanecer parado ou continuar em movimento

Então, o que é inercia?  Na física, a inércia é a capacidade de resistir à mudança de movimento. Por exemplo, se você realiza determinadas práticas organizacionais, possui determinados hábitos ou se simplesmemente tende a ficar sem fazer nada, a tendência é continuar fazendo a mesma coisa. 

Fazer por muito tempo a mesma coisa, por mais produtiva que seja, significa que, de alguma forma você entrou no ciclo da inércia. E é exatamente essa perspectiva que exploramos neste artigo: os perigos da inércia, como começar a agir a as melhores dicas para não sermos vítimas desse mal. 

Os perigos da inércia na vida organizacional

A falta de ações novas  são um obstáculo não só na vida pessoal. No âmbito organizacional, a inércia age sobre os profissionais de forma extremamente negativa. Por causa da inércia, o processo decisório torna-se lento, evitamos os riscos e  a mudança torna-se difícil de acontecer.

Os impactos da inércia nas companhias são inúmeros: processos obsoletos; lentidão no processo decisório; práticas ultrapassadas;  estratégias que não funcionam mais como antes;  permanência de pessoas que, hoje, você não as contrataria novamente.

O que a inércia causa na vida das pessoas, conforme conceitua o especialista em coaching executivo, Marshall Goldsmith, é um efeito paralisante. É como se você ficasse congelado no tempo, nas mesmas atividades e no mesmo modelo mental.  Sabe aquelas pessoas que você encontra após 5 ou 10 anos e continuam exatamente iguais?   Toda vez que que deixamos de fazer algo diferente e permanecemos na mesmice, é sinal que fomos atingidos pela inércia . A inércia é perigosa, principalmente, por passar despercebida em muitos casos.

Com frequência, executivos deixam de realizar mudanças e não reconhecem essa falta de ação como inércia. Assim, pessoas e empresas perdem oportunidades de crescer e melhorar a gestão, produtos e serviços. Se algo está dando certo, se um modelo de negócio já funciona, não quer dizer que ele não possa ou não deva ser melhorado.

Enquanto empreendedores e executivos, precisamos nos perguntar, com frequência:  O que podemos mudar?  E se mudássemos agora, quais os ganhos futuros?  Se deixarmos para depois, quais as perdas? 

Lutando contra a inércia: como começar?

A inércia é uma grande vilã, mas vamos à boa notícia: para vencer a inércia não é preciso nenhum grande esforço heroico. Pelo contrário: é uma questão de disciplina.

Cada pessoa tem seu ritmo, objetivos próprios, forças e fraquezas. É preciso saber reconhecer todos esses fatores para provocar as mudanças necessárias. Autoconhecimento é, de fato, o primeiro passo para provocar a mudança. Mesmo no ambiente organizacional, a empresa não muda se as pessoas não mudarem. Talvez, por isso, seja mais fácil falar em mudança, do que começar a mudar. E mais desafiador do que iniciar a mudança,  é conseguir mantê-la.

Faça um exercício mental ou até escreva em um papel o que você precisa alcançar na empresa e na vida pessoal. Pergunte-se agora mesmo: o que preciso mudar na minha liderança ou na minha empresa? Quais práticas organizacionais precisam ser criadas ou desenvolvidas para melhorar os produtos e serviços? Como vou gastar meu tempo de forma eficiente em prol desse novo comportamento? Como vou me sentir após a mudança? 

Respondendo a essas perguntas, você está apto para colocar a mão na massa, espantar a incômodo da mudança e agir agora mesmo. É só seguir em frente, com disciplina.

Como vencer a inércia: as melhores dicas para mudar

Trace objetivos claros

Qualquer mudança organizacional, profissional e pessoal, precisa partir de algum lugar.  A ação deve começar da vontade de mudar. Como turbinar a vontade? Comece avaliando o que você pode alcançar se começar a agir agora. Fazer uma ponte ao futuro é uma excelente técnica para inspirar,  conectar-se emocionalmente à meta e desenvolver uma vontade inabalável dentro de si.

A partir dessa visão, é hora de traçar objetivos claros: aonde você quer chegar?

A inércia te impede de chegar até aonde? Seu objetivo pode ser abrir um novo negócio, lançar um novo produto ou mudar o modelo ou processo de gestão dentro da empresa onde trabalha. O importante é saber com clareza o que a falta de ação está impedido de conquistar a definir metas para chegar lá.

Comece pelo mais simples

Pode parecer muito banal, mas para lutar contra a preguiça, a inércia e a falta de motivação para agir, uma boa dica é começar pelo mais fácil. 

Eliminar tarefas simples e práticas primeiro ajuda a ter a sensação de dever cumprido mais rapidamente. Assim, é mais fácil se motivar para aumentar aos poucos o nível da complexidade das ações que devem ser realizadas. Também vale muito a pena intercalar tarefas mais simples entre as mais trabalhosas e entediantes, para quebrar o ritmo do que for mais difícil de concluir.

Organize cada passo para chegar lá

Como ficou claro acima, a disciplina é o único caminho para fugir da inércia. Com disciplina e um propósito claro da mudança, use a organização para mover-se em direção ao objetivo. Organizar cada passo do dia ou da semana, priorizar tarefas e fazer tudo na hora certa, sem procrastinação, é o que vai fazer que a produtividade aumente de verdade.

Encontre um modelo de organização que se adeque ao seu trabalho e às mudanças que quer fazer na sua vida profissional ou pessoal. Como alerta Goldsmith:  “Nós não nos tornamos melhores sem estrutura (…), mas apenas se for uma estrutura que se encaixe.”

Permita-se descansar

Nem só de trabalho o ser humano vive. Pode parecer muito simples mas, em processos de mudança, muitas vezes achamos que é preciso trabalhar excessivamente, buscar dias com mais de 24 horas e “dar conta de tudo”. 

Na prática, não é bem assim. Processos de mudança precisam de equilíbrio. Tirar um tempo para equilibrar trabalho e lazer, afazeres profissionais e pessoais, ajuda a manter a mente centrada e focada sem exaustão. O descanso, indiretamente, faz com que a motivação se mantenha mais alta e o rendimento também.

Meditar é uma excelente prática para recompor a energia perdida nos afazeres diários  e reestabelecer o equilíbrio mental, físico e espiritual. Uma dica para ajudar na prática de meditação: App VivoMeditação. Baixe o app em seu celular e comece agora!

Celebre conquistas e vitórias

Nas palavras de Marshall Goldsmith, “nós costumamos rever na mente o que realmente fizemos versus o que deveríamos ter feito – e acabamos nos sentindo mal”. Por isso, a dica aqui é impedir que o arrependimento invada o seu mindset. Aprenda com tudo o que fez e elimine a culpa pelo que deixou de fazer.

Celebrar e valorizar as pequenas conquistas ajuda a controlar a mente e focar no que precisa ser feito, sem que a atitude de derrota assuma seu lugar.

Um contraponto interessante na hora de nos vangloriarmos pelas nossas conquistas também é feito por Marshall. Adultos e profissionais em geral precisam equilibrar sua expectativa em relação às conquistas, antes de almejar qualquer tipo de gratificação.

Queremos, com frequência, gratificações a curto prazo enquanto precisamos de mudanças e ações a longo prazo. Esse desequilíbrio causa um conflito interno nas pessoas. Por exemplo: queremos manter uma vida saudável (ações de longo prazo), mas deixamos de ir à academia (esforço) para ficar no conforto do lar (gratificação de curto prazo). Não se trata de escolher um ou outro, mas sim de agir na hora certa para equilibrar as gratificações  que queremos ao longo do tempo, com as mudanças difíceis que precisamos de fato fazer. 

Nunca pare!

Outro ponto que Marshall Goldsmith deixa claro em sua obra é que o follow-up é fundamental.  Nenhum processo de mudança mantém resultados positivos se for interrompido. Independente do seu objetivo, faça com que a mudança seja contínua para que os resultados positivos dela também sejam.

Quando isso não acontece, o risco de cair novamente no estado de inércia é evidente. Se isso concretizar, fica fácil perder o trabalho que já foi feito, ficar para trás nos negócios e no mercado. Sem dúvida, o maior pesadelo de qualquer executivo e empreendedor.

E para não interromper o fluxo de produtividade, não deixe de conferir também nosso conteúdo sobre como aumentar seu foco e seu desempenho

Como os líderes precisam agir diante da inércia

As dicas acima são essenciais para quem quer realizar mudanças no trabalho ou mesmo da vida pessoal. Agora, um ponto importante é a postura que os líderes precisam ter diante de situações da inércia.

Líderes têm um papel fundamental para contornar esse tipo de situação e impactar positivamente com sua postura no engajamento das equipes. Liderar um time é uma equação a ser resolvida: como guiar o time em busca de objetivos maiores, fazendo com que eles sempre produzam mais,  melhor e mais barato e ainda se mantenham satisfeitos durante o processo.

Por isso, os líderes devem ser verdadeiros inimigos da inércia para inspirar esse comportamento no time como um todo. Independente do estilo de liderança, agir e estar sempre disposto a mudar é essencial para o crescimento pessoal, do time e da empresa como um todo. Faça parte da disrupção e leve o time junto para alcançar melhores resultados e despontar no mercado.

Se quiser aprimorar suas habilidades enquanto líder e ocupar de forma mais efetiva uma posição a frente de um time, acompanhe o nosso blog. Clique na aba get notifications à direita e receba nossos conteúdos em primeira mão. 

Lília Barbosa & Creoncedes Sampaio

[email protected]/[email protected]

Referências:

Goldsmith, Marshall. Mojo: Como conseguir, como manter e como reconquistar o que você perder

Goldsmith, Marshall, Solving the human inertia predicament.

Compartilhe essa postagem:
Comentários

Deixe seu comentário

Quer saber mais sobre a Cozex? assine nossa newsletter!