A força de um sonho 2/2

No artigo anterior, descortinamos questões sobre a importância de sonhar com o castelo desejado em lugar do casebre possível. Agora, vamos tratar de algo fundamental: usar a racionalidade para especificar o sonho, transformá-lo em um objetivo e encontrar as estratégias para chegar lá.

Depois da construção mental do castelo é hora de materializá-lo. Como fazemos isso? Há uma regra bastante conhecida, simples e fundamental:

  1. Especificar: Por exemplo: suponhamos que o seu sonho seja ser um profissional realizado. É inespecífico. O que é ser um profissional realizado? É ocupar qual cargo? Em qual área? Em qual indústria? Ser responsável pelo que? Perceba a importância da clareza desses pontos para que você possa, depois, estabelecer estratégias com foco na direção desejada.
  2. Mensurar: como saberá que chegou lá? Quais as evidências que mostrarão que está na direção certa? Aqui estabelecemos as medidas. Por exemplo: Qual a remuneração desejada? Em quanto tempo ocupará cada cargo até chegar ao cargo dos sonhos?
  3. Avaliar se é alcançável: é realizável dentro das medidas estabelecidas ou precisa ser revisto?
  4. Identificar a relevância: o quanto é relevante alcançar esse objetivo? Está realmente disposto a imprimir todos os esforços necessários? Por que é importante realizar esse sonho? A resposta a essas perguntas lhe darão subsídios para ter a certeza interna de que está atrás do sonho certo para você. É uma verdadeira libertação abrir mão de objetivos que não são nossos verdadeiramente, porque estão dissociados dos nossos valores fundamentais. Ou o seu sonho está relacionado com a sua paixão ou você dificilmente terá energia para doar-se continuamente por muito tempo. E, mesmo que tenha essa energia, será muito sofrido e desalentador. Você merece mais da vida. O esforço que vale a pena é aquele que fazemos alinhado com o que é importante para nós.
  5. Estabelecer prazo: quando deseja realizar o seu objetivo? Qual o dia, mês e ano?

Agora, divida esse grande objetivo em etapas. Para conquistar os desafios será preciso aprender a dividi-los em partes menores. O que é mais fácil, comer uma torta inteira ou em pedaços? Esse é o raciocínio. A partir disso, construa um plano com as estratégias para cada grande etapa. Observe que sua preocupação maior deve ser com os passos para alcançar a primeira etapa. Não adianta você, agora, perder tempo e energia com as etapas posteriores.

Os grandes realizadores, primeiro, entendem quais são os passos fundamentais, depois, concentram-se apenas em um passo por vez. Assim, ficam mais empoderados, porque dividem o grande objetivo ou a meta final em metas de processo, metas menores que, se realizadas, levam até o objetivo final. Em lugar de preocuparem-se com tudo o que precisa ser feito, centram seus esforços, inteligência, habilidades e forças ao passo prioritário. Assim, evitam a ansiedade, o estresse e o sentimento de incapacidade.

Se o foco é o marco prioritário, eleja o primeiro marco e subdivida-o o máximo possível até chegar ao que precisa fazer diariamente para concretizar essa meta intermediária, em tempo hábil. Isso mesmo, todo dia deve ter um tempo estabelecido para você dedicar-se à realização do seu objetivo. Se você não priorizar o que precisa ser feito todos os dias, perderá o foco. Não importa a distância que você está em relação ao que deseja. Importa o que você faz quotidianamente para chegar lá.

Que tal começar agora? O momento presente é a melhor hora para começar a realizar os sonhos. Esqueça o melhor momento, pois ele nunca chegará. Se você realmente quer algo diferente da sua vida, comece agora!

Até o próximo artigo!

 

Lília Barbosa – [email protected]

Empresária e master coach. Especialista em liderança, gestão e coaching.

Se você não leu o artigo anterior, faça isso agora: A força de um sonho 1/2

 

Compartilhe essa postagem:
Comentários

Deixe seu comentário

Quer saber mais sobre a Cozex? assine nossa newsletter!