Tempo de reformas, reavaliações e mudanças

Todos os dias deveriam ser de reformas, reavaliações e mudanças, mas não é isso que acontece. Tradicionalmente, essa ação acontece em massa no final do ano. Parece que a esperança de um novo tempo inspira a maioria das pessoas nessa época a reavaliar suas vidas e repaginar os ambientes em que vivem.

A reforma perpassa pelo ambiente externo e interno. Externamente, há algumas ações necessárias e importantes a serem feitas pelo menos uma vez ao ano, tais como doar roupas e calçados que estão sem uso; descartar objetos quebrados; doar objetos para evitar que o ambiente fique com excesso de coisas; doar livros; renovar a pintura dos ambientes. Talvez, mudar a localização de alguns móveis ou objetos. Enfim, trocar a ordem e organização antigas por uma nova forma de dispor o espaço das coisas que estão em seu lar. Pequenas ou grandes mudanças, o que importa é renovar o ambiente para que ele proporcione bem-estar, conforto e harmonia. E, para isso, doses de criatividade e desapego às coisas antigas farão grande diferença, sem, necessariamente, fazer aportes financeiros significativos. Menos móveis e objetos, mais espaço e leveza.

No ambiente externo, também, estão as amizades. E vale a pena fazer um balanço delas. Elas contribuem para que você se torne uma pessoa melhor? São pessoas que inspiram e desafiam você? Os valores dos seus amigos estão alinhados com os seus? Se em alguma dessas perguntas a resposta for não, repense seu ciclo de amizades. Mesmo contra a nossa vontade, o meio no qual vivemos influencia nossos comportamentos e pode arruinar forças, caráter e talentos. Pense sobre isso, influenciamos e somos influenciados constantemente. Conviver com pessoas especiais, diferenciadas e competentes nos inspirará a sermos mais. Fuja das pessoas que o tornam menos do que você é.

O ambiente interno é determinante nessa renovação do espaço externo, pois é a sua mudança interna que exige a mudança do ambiente. Quando você muda verdadeiramente, não mais suportará o mesmo ambiente, seja físico, seja de relacionamentos. Muitos aguardam que a mudança externa  aconteça para que internamente possam se alinhar. Esse é o caminho errado para a mudança, porque concede a permissão para continuar a fazer o que sempre se fez e fica fácil justificar a não mudança. Para Anthony Grant, a mudança interna, quando inicia, gera um efeito dominó e afeta positivamente todas as áreas da vida.

Quanto tempo você esperará para viver a mudança desejada? O que arrumar internamente? Faça uma análise interior. Registre as receitas: realizações do ano, conquistas, investimentos feitos em você (cuidados consigo – corpo, mente e espírito, novos conhecimentos adquiridos). Depois, elenque as despesas (tudo o que você não fez e deveria ter feito, ações desalinhadas com seus valores, rancores, situações e pessoas que você não perdoou). Qual é saldo, é positivo ou negativo? Ao final de mais um ano, se compararmos com os anos anteriores, você cresceu, permaneceu como estava ou teve involução? Se sua resposta é de que continua como estava no ano anterior, houve involução, pois inúmeras mudanças aconteceram em seu entorno. Se for negativo, quais aprendizados? o que fará no próximo ano para obter um resultado positivo? Se positivo, celebre. Depois, pergunte-se o que fará para evoluir mais em 2016?

Fazer essa análise lhe possibilita apropriar-se dos resultados que deseja auferir na vida, sobretudo se fizer essa análise mensalmente, em lugar de deixá-la para o final do ano. Vamos começar?

Até a próxima semana!

Lília Barbosa – [email protected]

Creoncedes Sampaio – [email protected]

 

 

 

Compartilhe essa postagem:
Comentários

Deixe seu comentário

Quer saber mais sobre a Cozex? assine nossa newsletter!