Sua liderança é sustentável?

Primeiramente, é preciso entender o conceito de sustentabilidade. Sustentabilidade vem de sustentável. No dicionário Aurélio, é algo que se consegue manter e algo que se consiga realizar sem que haja prejuízos ao ambiente. No artigo anterior, A liderança mudou. Você está preparado? Discorremos que ações sustentáveis, em gestão, devem ir além das importantes preocupações ambientais. Resolvemos aprofundar mais essa questão porque esse tema é fundamental para os líderes e, ao mesmo tempo, o seu conceito ainda é extremamente restrito perante a dimensão de resultados que se poderia alcançar caso houvesse uma ampla conscientização do papel da liderança sustentável.

A sustentabilidade é um conceito sistêmico e multidisciplinar, por isso é complexa, mas a sua prática é carregada de ações simples e, por favor, não confunda simples com simplista. O que queremos dizer com isso? Imagine que qualquer decisão que você tome enquanto líder ou deixe de tomar possui invariavelmente um grande impacto, em longo prazo, para você, profissional e pessoalmente, seus liderados, o departamento, a empresa e o meio no qual essa empresa está inserida. Impactos econômico-financeiros, sociais e ambientais. Uma decisão sua, hoje, pode deflagrar um futuro promissor para a empresa ou o início do fim do seu ciclo de vida. Exagero? Pense bem, cada pequena ação não afeta somente você, não é apenas uma decisão que atinge exclusivamente sua área ou sua equipe, entenda que suas ações, mais cedo ou mais tarde, afetarão todo o sistema no qual você está inserido. E se você não despertar para uma liderança sustentável, pode destruir todo o sistema, paulatinamente. Isso não acontece de uma hora para outra, não é algo intencional nem maldoso, suas intenções são muito positivas. É apenas SISTÊMICO. Os impactos acontecem bem devagarinho, ao juntar uma série de escolhas aparentemente inócuas. Conhece a antiga e conhecida história do sapo na panela de água quente? É a mesma coisa. Se colocar o sapo na água quente ele irá pular, se colocar na água e esquentar aos pouquinhos, ele morrerá sem perceber. Isso vale para o mundo corporativo e, também, para a vida.

Entendido o conceito sistêmico fundamental para a sustentabilidade, é preciso, agora, pensar em pelo menos dois fatores que alicerçam a liderança sustentável:

  • Formação de sucessores:

 Quando você não estiver mais à frente da equipe, quem estará? Quem são as pessoas que estão sendo preparadas para, no futuro, concorrerem à vaga? Existe um plano formal de preparação de sucessores nos diversos níveis da sua empresa? Cada líder da sua empresa tem a atribuição e responsabilidade para preparar seu sucessor? Como é medida a evolução dessa preparação? Quais os indicadores? Esse item faz parte da remuneração variável, se houver? Sustentabilidade é continuidade. Se não houver alguém que dê continuidade aos progressos realizados, como a empresa conseguirá manter-se viva e saudável no futuro?

  • Reaproveitamento e desperdício:

Os recursos tendem a ser escassos e caros. E o Brasil é conhecido como o país do desperdício. Se essa é uma realidade, o que impede você de pensar em opções citadas no artigo anterior e mais, pensar em redução de consumo de água, fontes alternativas de receita de novos produtos feitos com sobras ou mesmo da venda de resíduos ou doações monitoradas (dentro de um projeto) para gerar renda e emprego na comunidade, por exemplo? Todo e qualquer desperdício que não gera valor para o cliente nem para a empresa deve ser eliminado. Na filosofia Lean, gestão enxuta, há pelo menos 7 tipos de desperdícios empresariais: movimentação excessiva, produção excedente, tempo de espera, transporte, estoque elevado, processamento desnecessário e correções. O interessante é que, na filosofia Lean, sempre, há espaço para redução e melhoria, por mais que sua empresa seja eficiente. Há um princípio da Toyota que diz: “Nada é tão bom que não possa ser melhorado”. Se você, agora, elencar 3 dos 7 itens focalizando na melhoria deles, seria o primeiro passo para iniciar a liderança sustentável.

No próximo artigo, escreveremos sobre como manter o equilíbrio pessoal necessário para ser um líder gerador de resultados nos novos tempos.

Até o próximo artigo! A propósito, se você deseja receber semanalmente nossos artigos, clique aqui, assine nosso blog e receba diretamente em seu e-mail conteúdos aplicados de liderança, gestão, estratégia e coaching no ambiente corporativo.

 

Lília Barbosa/Creoncedes Sampaio  

Empresários e especialistas em liderança, gestão e coaching.

[email protected]/[email protected]

PS: Se você gostou deste artigo, deixe-nos saber sua opinião. Envie-nos suas perguntas, dúvidas, comentários. Passe-nos um e-mail, compartilhe com sua rede e faça parte da comunidade que influencia positivamente o seu meio, indo além de si próprio. Seja o primeiro a receber conteúdos práticos e fundamentados de liderança, gestão, estratégia e coaching.

Compartilhe essa postagem:
Comentários

Deixe seu comentário

Quer saber mais sobre a Cozex? assine nossa newsletter!