Quais as histórias que você conta?

A vida e o mundo corporativo são permeados por histórias verdadeiras e milhares de histórias falsas. Nós, você e qualquer pessoa adora ouvir e contar histórias.
Cada faceta da sua vida é um capítulo da sua história e cada evento é uma cena. Você constrói histórias o tempo inteiro e nem percebe que a maioria dessas historias talvez o esteja impedido de viver a sua verdadeira história e aumentar o desempenho e satisfação, no trabalho e na vida.
Você carrega essas histórias para todos os ambientes onde circula, como uma forma de justificar quem é, o que tem e o que faz. Você nasceu para fazer história, ou melhor, nasceu produtor da sua história, com capacidade, potencialidades e talentos únicos, com poderes para escolher os papéis exercidos na trama corporativa e na vida: protagonista, vítima, coadjuvante, vilão….Nasceu para agir, lutar por um ideal, maior que você, nasceu para enfrentar os obstáculos e vencê-los.
Talvez pelo fato das histórias conectá-lo às outras pessoas, emocionar e encantar, você aprimorou a habilidade de contar histórias… mas, o problema é que as histórias que você conta sobre si, sobre a empresa, sobre suas relações profissionais, amorosas e sociais, são invariavelmente, distorcidas, vistas de um ponto de vista míope. Muitas destas histórias minam a autoestima, freiam as iniciativas e aniquilam as potencialidades e forças naturais.
No ambiente organizacional essas histórias destroem a cultura empresarial, afetam duramente o clima e o seu desempenho enquanto líder para melhor ou pior, dependerá da história contada; as equipes e profissionais, por vezes, geram toneladas de justificativas que impedem o alcance de metas da empresa e da carreira.
Imagine um líder omisso, que evita o enfrentamento de situações difíceis, ele conta a história de que é preciso ter cautela, outras pessoas precisam agir primeiro, para justificar a sua omissão. Agora imagine um líder controlador, a história que ele conta é que as pessoas não são confiáveis ou não tem a mesma competência dele, por isso tudo tem que ser centralizado nele. Um líder de vendas que não atinge as metas, conta a história do mercado, das dificuldades econômicas, da incompetência ou da falta de engajamento da equipe de vendas, para justificar o seu resultado. Um líder de uma equipe de baixo desempenho… Enfim, é impossível escrever um artigo e até mesmo um livro sobre todas as histórias corporativas que contamos.
Você já pensou que as histórias que você conta podem determinar a sua carreira, levar a sua empresa ao crescimento ou ao fracasso e até mesmo determinar a sua vida? Já imaginou que mudar de carreira, conduzir mudanças na empresa, aumentar as vendas ou mudar de vida é, antes de qualquer coisa, mudar as histórias que você conta, todos os dias?
São muitas e diferentes histórias contadas em tudo que você faz ou deixa de fazer. A boa notícia é que você não precisa aguardar a descoberta de uma máquina do tempo para mudar o seu passado e ter uma nova história corporativa ou de vida, basta contar a história de um novo ponto de vista. Isso não significa viver em mundo de “faz de conta”, onde os fatos não são aceitos ou são inventados, pelo contrário, é aceitar o fato e aprender com o que aconteceu. E a melhor forma de aceitar o fato é fazer uma pergunta que o torne protagonista ao invés de vítima da situação.
Se você mudar as perguntas que faz a si mesmo, o seu ponto de vista mudará. Se você mudar as perguntas que faz para os líderes que compõe a sua empresa, o ponto de vista deles mudará. Se cada líder mudar as perguntas junto aos seus liderados, cada pessoa terá um novo ponto de vista a ser considerado e também uma nova história a ser contada. Pergunte-se: se fosse possível extrair algum aprendizado dessa situação, qual seria? O que posso fazer diferente para obter um resultado melhor? Ao responder essas perguntas, você inicia uma nova versão da história. Uma versão onde independentemente do que lhe aconteça, é possível aprender, amadurecer, encontrar alternativas e crescer com a situação.
Permita-nos agora, levá-lo a reflexão: Qual a história que você conta sobre seu trabalho? Qual a história que você conta sobre sua empresa? Sua liderança? Seus liderados? Qual a história que você conta sobre a sua vida pessoal? Seus filhos? Seus pais?
A forma como você conta a sua história revela o papel que você escolheu em cada cena. Somos tão hábeis na contação de histórias que torna-se difícil perceber as distorções que criamos. Recriamos tão bem as histórias – que justificam quem somos, o que fazemos e o que temos – que parecem reais. O fato é e sempre será irrelevante, diante da forma escolhida para contar o mesmo fato. Isso significa que seremos refém de nossa história, enquanto mantivermos a mesma perspectiva. Por isso, a pergunta final é: até que ponto as suas histórias corporativas e de vida fazem de você um empresário ou executivo de alto desempenho e uma pessoa verdadeiramente feliz?

 

Um abraço!

Até o próximo artigo!

Lília Barbosa & Creoncedes Sampaio

P.S: Deseja entender um pouco mais sobre como mudar a sua história corporativa, como empresário, executivo ou líder? Conheça como ajudamos 3.405 executivos e empresários a fazer isso, clique aqui.
Compartilhe essa postagem:
Comentários

Deixe seu comentário

Quer saber mais sobre a Cozex? assine nossa newsletter!