Eficiência operacional combinada com comportamentos de alto desempenho

No artigo anterior, “Comportamento e eficiência operacional: qual a relação?“, descortinamos o conceito de eficiência operacional e a importância da mudança comportamental nesse contexto. Agora, colocamos como combinar dois temas aparentemente diferentes e concomitantemente tão interdependentes. Se a eficiência é o resultado de fazer mais, melhor e em menos tempo, quais comportamentos sustentam esse resultado?

  1. Fazer mais – é execução, e execução tem como mola propulsora a disciplina. Porém apenas ser disciplinado na execução e cumpridor de tarefas não retrata um comportamento de alto desempenho. É importante que tal disciplina esteja presente também na medição e acompanhamento do quanto esse fazer acresce verdadeiramente ao resultado final desejado. Sem disciplina, inexiste a gestão ativa e a eficiência vai para o ralo.
  2. Fazer melhor – você melhora constantemente seus métodos de trabalho e os processos em que atua? A tão conhecida melhoria contínua tem por trás uma insatisfação constante e positiva com a forma que executamos as atividades rotineiras – gestão do dia a dia. O executivo ou profissional acomodado com o status quo, jamais, praticará essa melhoria espontaneamente. Outro fato importante é que, comprovadamente, as pessoas e empresas bem-sucedidas perdem o ímpeto de fazer melhor por acreditarem que chegaram ao máximo do desempenho e, por isso, não precisam ir além. Sem insatisfação constante, sem mudança. Lembre-se: manter o que existe, em um mundo em que tudo muda rapidamente, requer mudança. Por exemplo, ou você muda ou não conseguirá manter sua participação no mercado, suas vendas, seu crescimento, sua lucratividade, sua equipe coesa…
  3. Fazer em menos tempo – processos produtivos requerem pessoas produtivas. A produtividade perpassa pela eliminação de desperdícios de tempo, financeiros e materiais. Isso requer organização, foco e método. A capacidade de organização e foco são variáveis comportamentais, assim como cumprir um determinado método. O método em si é uma questão técnica, mas, comprovadamente, na maioria dos casos, as pessoas conhecem o método, mas não o utilizam. Por que isso acontece? Porque essas pessoas ainda não conseguiram  associar o esforço que precisam demandar a um forte elo emocional. Sem conexão emocional, o motivo do esforço se esvai no primeiro obstáculo. Lembra-se do artigo sobre significado? Encontre um motivo pelo qual vale a pena melhorar sua produtividade diária e conseguirá ter energia psicológica para fazê-lo.

Os conceitos e práticas de eficiência e comportamento, quando associados, são imbatíveis na consecução dos objetivos organizacionais. Se mantermos o foco apenas na eficiência ou nos comportamentos, os resultados são pífios e sem sustentação. Deseja aprofundar-se nesse tema? Contate-nos, será um prazer trocar ideias com você.

 

Lília Barbosa e Creoncedes Sampaio

[email protected]  [email protected]

 

Compartilhe essa postagem:
Comentários

Deixe seu comentário

Quer saber mais sobre a Cozex? assine nossa newsletter!