A arte de concluir o que iniciou

Inúmeras pessoas iniciam algo em suas vidas e, por algum motivo, deixam de completar o ciclo: terminar o que iniciou. Invariavelmente, essas mesmas pessoas poderiam estar em outro patamar em suas vidas, carreiras e negócios. Você já pensou o que o impede de concluir suas iniciativas? Quantas vezes iniciou algo e desistiu? O que acontece com você quando desiste antes de terminar?

Se sua resposta é que nada acontece após sua desistência, mas considere o seguinte. Sua desistência é uma escolha. Você decide desistir. E quando escolhemos desistir de algo, antes de completar, desenvolvemos o hábito de descontinuar, acostumamo-nos à comodidade de permanecer onde estamos, ao invés do esforço de avançar. Essa comodidade rouba-nos a possibilidade de uma vida próspera. Nesse momento, somos seduzidos pelos sabotadores do prazer: uma vida fácil, sem desafios e, ao mesmo tempo, uma vida que nos impede de realizar todo o nosso potencial e de atingir nossos objetivos.

Vencer ou perder na vida são hábitos adquiridos pelo que fazemos ou deixamos de fazer. Concluir as iniciativas é a única forma de descobrir e desenvolver seu verdadeiro potencial. As iniciativas inacabadas minam suas capacidades porque as subutilizam; baixam sua autoestima porque fragilizam sua crença de que é capaz; drenam a sua energia ao declinar diante dos obstáculos porque você, de alguma forma, transforma-se no obstáculo que prefere evitar. E fica difícil vencer  na vida carregando todos esses obstáculos que encontramos no caminho. Ou você supera os obstáculos ou os levará com você.

Para completar qualquer coisa que iniciou, você  enfrentará dificuldades. Esta é a regra que muitas pessoas ainda desconhecem. Ou você tem energia para romper e ultrapassar os obstáculos ou será um fracassado. Esses obstáculos são variados, os mais usuais são falta de tempo, indisciplina, desorganização, ausência de alguma habilidade… entenda que, independentemente do tipo de obstáculo encontrado e de sua complexidade, o mais importante é agir diante dele e aprender com os erros. Ao agir, continuamente, você se tornará maior que o obstáculo e de alguma forma o romperá. Imagine que cada ação em direção à sua meta é um centímetro que você  acrescenta ao seu tamanho, insista até você se tornar um gigante.

Os passos errados são fontes de aprendizado. Em lugar de preocupar-se, intimidar-se ou envergonhar-se, apenas aprenda. Faça-se as perguntas certas. Se a pergunta que fizer a si mesmo for errada, destituirá você do seu poder de ação. Anthony Robbins sugere as seguintes perguntas: O que posso fazer para avançar?  Em lugar de perguntar:  por que fui entrar nessa?  Quais as perguntas que tem feito a si mesmo? As perguntas certas lhe trarão ideias e discernimento para saber o que e como mudar para concluir o que deseja.

A arte de concluir o que iniciou pode ser aprendida se você quiser realmente vencer  em lugar de ser vítima da sua vida. Se você não permitir que qualquer dificuldade seja uma desculpa  para justificar quem você não é, não faz ou não tem. Se você aprender a superar as dificuldades do caminho em lugar de afastar-se delas. Isso será possível se tomar a decisão de, todos os dias, agir, medir, reavaliar, ajustar, independentemente de quaisquer acontecimentos. Nada que lhe aconteça tem o poder de interromper você, somente a morte.

Até a próxima semana!

Leia também: https://www.cozex.com.br/como-fazer-mais/

https://www.cozex.com.br/produto/significado-um-guia-para-a-vida-o-bem-estar-e-a-paz/

 

Lília Barbosa

[email protected]

Creoncedes Sampaio

[email protected]

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhe essa postagem:
Comentários

Deixe seu comentário

Quer saber mais sobre a Cozex? assine nossa newsletter!